Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




dinoland

14.10.15

 

 

 

 

 

 

 

ao que parece os dinossauros não estão nada extintos. a avaliar pelo que se passa lá em casa, estão até muito activos. são a paixão (a mais recente) dos meus rapazes, estão com eles em todo o lado.

IMAG0954.jpg[tomam as refeições connosco]IMAG0957.jpgIMAG0979.jpgIMAG0988.jpg

[veem televisão. já lhes disse que estão muito perto do ecrã]IMAG0986.jpg

[e vão dormir. "tapa todos mamã. para não terem frio de noite"]

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

no fim-de-semana em que não choveu conseguimos ir ao parque da cidade apanhar folhas. bem... eu fui apanhar folhas, eles apanharam duas cada um e andaram só a correr. 

no fim-de-semana em que choveu todo o dia, ficámos em casa a pintar as folhas que apanhámos. bem... eu andei a pintar folhas, eles pintaram duas ou três de cada cor, pintaram a mesa e as mãos e os papéis e foram brincar.

o resultado foi este. o outono na nossa casa.

IMAG1015.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

ena pá, ena pá!!! já começou outra vez.

a época das oses e ites está oficialmente aberta. temos um homenzinho em casa com febre e falta de apetite e uma mamã com oportunidade para lavar e passar roupa a ferro.

Autoria e outros dados (tags, etc)

hoje de manhã, durante o pequeno-almoço ao passar o anúncio de um conhecido multi vitamínico cujo nome começa em cen e acaba em trum. ouço a voz de um pequenito com um tom muito sério.

quem é esta pincesa?

a Catarina Furtado princesa, aqui o Pedrinho não faz por menos.

 

pais guardem as vossas filhas que este meu docinho sabe-a toda.

Autoria e outros dados (tags, etc)

escrevia no último post sobre as vantagens de não levar os miúdos a um casamento. como se torna tudo mais fácil e calmo. consegues conversar com pessoas descansada e comer a comida ainda quente. consegues passar o dia sem estar sempre de olho nos pequenos, a evitar que se magoem, a evitar que magoem alguém, a evitar que se sujem muito muito ou que entrem na cozinha e partam a loiça toda. consegues ir a um casamento sem ser com saltos rasos.

 

queixava-me no final dos outros casamentos que não tinha aproveitado quase nada, que tinha passado o dia a fazer tudo aquilo que acabei de escrever. fiquei sempre muito triste porque não tinha conseguido tirar nem uma fotografia. eu adorava poder ficar a contemplar os momentos e captá-los em fotografias. achava eu que não tinha essa hipótese por estar sempre a cuidar dos miúdos. afinal não era.

 

percebi agora que neste último casamento também não tirei nenhuma foto, nem uma selfizinha com o telemóvel. estivemos sempre a cuidar dos amigos, a aproveitar o tempo com eles a conversar e a rir. aproveitámos para dançar e dar beijinhos. comemos descansados e não corremos atrás de ninguém.

 

no casamento que fomos com os nossos filhos estivemos sempre a cuidar deles, aproveitámos bem o tempo com eles e rimos muito com eles. dançámos os quatro juntos e corremos muito uns atrás dos outros.

 

não temos esses momentos registados em fotos. mas as memórias ficam sempre connosco. e na verdade adorámos cada momento.

Autoria e outros dados (tags, etc)

até fazerem 9 meses – altura em que entraram na escolinha - passava o dia todo com eles, todos os dias o dia todo. com as devidas excepções de uma horinha aqui outra horinha ali, em que ficaram com as avós ou com o pai, que a mãe também de ir às compras descansada, cortar o cabelo ou fazer a depilação. mesmo assim, lembro-me de um dia deitar o Gonçalinho, pequenino, ainda bebé, descer para me esticar um bocado sofá e pensar que ele ia dormir muitas horas (muitas horas para o gonçalo eram 4 no máximo) e eu já tinha saudades dele.

 

depois de termos putos já não imaginamos a nossa vida sem eles e ficamos estragados para qualquer actividade que não os envolva. não é sempre assim. em boa parte dos casos até agradecemos ter uma folga dos miúdos e um pouco de paz e sossego. mas se calha irmos a algum sítio onde estão outros miúdos, então não temos hipótese. por mais pequena que seja, vai haver sempre a comparação “e se fossem os nossos aqui?!” ou então o “oh! o gonçalinho ia gostar tanto de estar aqui” somos uns fraquinhos, eu sei.

 

no passado fim-de-semana fomos a um casamento. fomos a um casamento sem miúdos. depois de um casamento e um baptizado em que fomos todos, pedimos pelos anjinhos para ir a um casamento sem putos. só para podermos estar mais à vontade, para comer à vontade, para dançar, falar com a família e amigos à vontade, tirar fotografias, não ter de estar sempre a correr atrás do Pedro, essas coisas estão a ver?!

 

e foi isso que fizemos. mas pelo meio víamos os miúdos com os palhaços e oh!, alguém pedia para ver fotos dos nossos filhos no telemóvel e ficávamos perdidos/derretidos nas fotos todas, víamos os miúdos a dançar e oh!, víamo-los a dormir ao colo dos pais e era um misto de oh! e fosga-se ainda bem que não tenho de passar por isso. mas foram muitas horas sem os piolhos já sentíamos saudades. não era preocupação ou pensar se estariam bem ou não (essa parte estava assegurada pelo melhor babysitting possível) , era mesmo saudades.

 

(as saudades acabaram depressa, quando acordaram os dois antes das 8 da manhã e nós com menos de quatro horas de sono)

Autoria e outros dados (tags, etc)


ana m.

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D